Uma mente criativa num mundo capitalista

“Me dê atenção, me dê atenção! Você tem que escrever sobre isso AGORA! E, já que está me dando atenção, aproveita e grava aquele vídeo, organiza sua vida pra 2021 e põe no papel todas essas ideias que você me deu.”O trabalho à espera limpa a garganta um pouco alto demais.“Sabe, eu até entendo queContinuar lendo “Uma mente criativa num mundo capitalista”

Dias cinzentos

Dias cinzentos; os mais difíceis de todos. Tecnicamente, nada muda; a rotina é a mesma. Acordar, tomar café, trabalhar; um cinza daqueles que não sabe se quer ser claro ou escuro. O cinza lá fora; o cinza aqui dentro. Tomada por SAD; mas não necessariamente tristeza. Só o desejo de que haja sol; de queContinuar lendo “Dias cinzentos”

A Doutora humana demais

Será que é possível morrer de ansiedade? E não no sentido figurado, mas no sentido de estar lá, escrito na certidão de óbito: “Causa da morte: ansiedade”? Respira. Para de pensar em morte. Nada é tão grave assim a ponto de você morrer. – pensa ela. Exceto os pensamentos que levam ao coração acelerado, oContinuar lendo “A Doutora humana demais”

Números

Números. Somos mesmo mais que eles? Uma avaliação com números não deveria valer mais do que mil palavras positivas. Bom, se os números não me deixam em paz nem quando estou escrevendo um argumento contra eles… É 0 a 5, 0 a 10, é 0 a 100. É 73 por apenas algumas letras trocadas. InsignificânciasContinuar lendo “Números”